TEXTO: (MARCOS 16.14-15)

O Cristianismo é uma mensagem que só pode ser anunciada quando vencemos toda a incredulidade. Caso contrario nós não conseguiremos vivenciar os ensinamentos do Cristo ressurreto

Quando  nós anunciamos ao mundo de que existe um Reino invisível, governado por um Rei também invisível que está assentado em um trono celestial, de onde controla todas as coisas pelo poder da sua Palavra. Não podemos ser convincentes se não crermos.

Só anunciamos porque cremos na Bíblia como sendo Palavra desse Rei que um dia se materializou e esteve aqui na terra, que morreu e  ressuscitou e que foi assunto ao céu.

Assim sendo só podemos ser verdadeiramente cristãos se tivermos fé no que pregamos.

Por isso precisamos mostrar ao mundo que todos só existem por causa e para a glória de Cristo Jesus, o Senhor.

A falta de fé e a convicção da verdade de Cristo, é que tem tornado a igreja cristã cada vez mais parecida com o mundo.

A igreja esta cada vez mais inexpressiva e também, cada vez mais, dispensável, crê mais que é obra do acaso ou de uma grande explosão.

Há muito tempo o homem questiona a origem do Universo e do planeta Terra. Atualmente temos duas vertentes que tentam explicar essa origem: o criacionismo (explicação religiosa) e o evolucionismo (explicação científica). O Big Bang é uma teoria evolucionista desenvolvida a partir do século XX.
Quanto à origem do Universo, são muitas as teorias que buscam explicar a sua criação, porém, a mais aceita pela classe científica e acadêmica é a do Big Bang.
A classe científica acredita que a formação do Universo se deu a partir de gigantescas explosões que teriam acontecido há pelo menos 15 bilhões de anos.

A humanidade está carente de uma Igreja realmente (convertida ao senhorio de Cristo Jesus), isto é, cheia de fé. Não se trata de uma igreja numerosa, grandiosa, poderosa economicamente ou politicamente influente.

Sabemos que  estas coisas podem ser úteis, mas de fato  a igreja só será determinante para a mudança do mundo se estiver presentes pessoas que vivem pela fé.

Precisamos nos espelhar em Jesus Cristo, pois, Ele venceu a iniqüidade do coração dos discípulos propondo-lhes uma missão e da mesma forma, a vitória sobre a incredulidade e dureza do nosso coração.

Essa dureza que nos leva a crer em teorias humanas sem crer em Deus.

Jesus continua se revelando em pleno século XXl a todos aqueles que O buscam.

Jesus revela quando o evangelho se torna mais que apenas uma mensagem que usamos para formatar a nossa religião, o evangelho forma em nós uma nova maneira de viver…

Só Quando Superamos as Barreiras do Ouvir a Palavra de Deus é que Venceremos a Incredulidade

A mensagem da ressurreição que é apresentada no evangelho de nosso Senhor Jesus tem o poder de quebrar toda incredulidade daqueles que o busca.

O evangelista Marcos destaca em seu livro que Maria Madalena e depois os discípulos do caminho de Emaús tiveram contato direto com o Cristo ressurreto e se tornaram mensageiros da boa nova, contudo, foram ouvidos com incredulidade por parte dos apóstolos.

Mas Jesus censura esta posição incrédula dos seus discípulos:

Finalmente, apareceu Jesus aos onze, quando estavam à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, porque não deram crédito aos que o tinham visto já ressuscitado. Logo não deram credito à Palavra.

Jesus censurou-lhes – Jesus confrontou com veemência a incredulidade dos discípulos e Marcos, assim como Lucas ao descrever a dificuldade dos caminhantes de Emaús, definiu esta postura como “dureza de coração”.

Dureza do Coração – era uma maneira conhecida dos judeus de se referir a uma postura antipática à Palavra de Deus.

Em Jeremias 18, verso 12:

Mas eles dizem: Não há esperança, porque após as nossas imaginações andaremos conforme os nossos projetos, e cada um farão segundo a dureza do seu coração maligno.

Mas, o mesmo profeta, algumas vezes anunciou que uma mudança aconteceria no dia em que o Senhor mudasse o coração do seu povo.

Fez isso anunciando um dia de paz e prosperidade quando disse:

Naquele tempo, chamarão a Jerusalém de Trono do SENHOR; nela se reunirão todas as nações em nome do SENHOR e já não andarão segundo a dureza do seu coração maligno.

A dureza do coração é uma postura contrária à Palavra de Deus que faz que ouçamos o que Deus diz, mas O mantenhamos longe de nós.

Na verdade, ouvimos, mas resistimos e não “depositamos fé”, no que ouvimos.

Jesus censurou veementemente essa incapacidade de crer, que nasceu em um coração que não se deixou moldar pela mensagem.

Marcos diz que a mensagem que fora anunciada pelos que haviam visto Cristo ressurreto foi desconsiderada por eles.

Na verdade, nós sabemos a história que os primeiros apóstolos precisaram ver Jesus para poder crer realmente que ele havia ressuscitado.

Somente conseguimos vencer a incredulidade quando nos dispomos a ouvir a voz de Deus com mais atenção e temor no coração.

Ouvindo-O com um coração quebrantado e guiado pela fé…

Só Quando Superamos as Barreiras Com Fé é que Venceremos a Incredulidade

Quando Jesus esteve com seus apóstolos e censurou-lhes a incredulidade alertando-lhes a dureza do coração, não estava se posicionando de uma maneira completamente negativa em relação a eles.

Ele sabia que venceriam aquela incredulidade que os afastava de uma fé transformadora.

Aquela jornada de fé seria consumada quando eles também vencessem a barreira da pregação do Evangelho, por isso ele os envia para pregar a ressurreição a todos os lugares e a todos os homens.

Agora  precisavam vencer a mesma barreira que eles haviam imposto aos que primeiramente lhes anunciaram, ou seja, eles agora seriam os portadores de uma mensagem difícil de receber e só o fariam pela fé.

Ide por todo o mundo e pregue o evangelho a toda criatura.

Duas palavras definem a intenção de Jesus: IDE e PREGAI.

Elas são inseparáveis na medida em que a pregação que haveriam de realizar exigiria o esforço de IR.

Afinal a pregação seria realizada em meio ao caminho de prosseguir na direção de todos os lugares.

Jesus apontou para uma pregação que envolveria entendimento e também a adesão da fé. Eles não seriam meros repórteres de uma notícia, mas propagadores de um ensino, de uma mensagem de fé.

A mensagem que anunciamos nos transforma de maneira viva quando a pregamos. Pois a pregação não somente têm o poder de transformar os outros, ela muda a nós mesmos.

Só Quando Superamos  as Barreiras Com Amor é que Venceremos a Incredulidade

O evangelho só tem sentido real quando nos leva a viver para o outro e para o resgate de sua vida. Por isso a pregação é um ato de amor.

A proposta de Jesus aos discípulos era um desafio para um grupo de judeus, afinal, eles deveriam ir a todos os lugares e pregar a todas as pessoas.

Realmente, percebemos que essa missão foi mesmo difícil a ponto de Pedro precisar ter uma visão de um lençol com animais imundos para aprender que os gentios, assim como os judeus, precisavam do Evangelho.

Eles deveriam vencer os limites geográficos, étnicos e tudo mais que fosse preciso e o fariam porque, enquanto pregavam haveriam de aprender a amar aqueles aos quais seriam enviados.

Isso apenas acontece quando somos movidos pela fé. Pois ela nos faz enxergar o outro e a sua necessidade, assim como a nossa funcionalidade na sua vida, como pregadores do evangelho.

Quando o foco da nossa visão de reino deixar de serem nossos interesses pessoais, até mesmo o nosso desejo de uma vida melhor com Deus e se concentrar na importância de sermos usados para abençoar outras pessoas, teremos vencido todas as barreiras da incredulidade.

A Boa Nova só tem sentido quando é anunciada.

Quando  somos apenas recipientes da boa nova e ela somente a nós interessa, mas não somos despertados a apresentá-la aos outros o próprio Evangelho que ouvimos ainda não ressuscitou o nosso coração.

Mas quando o Evangelho renova o nosso coração, logo percebemos que os outros também precisam dele e a urgência do Reino não têm nada a ver comigo, mas com o fato de que outros precisam de mim.

Hoje nós precisamos é de uma igreja compromissada com a fé e que esteja disposta a pagar o preço de morrer para si mesma e viver para a salvação de outras pessoas.

Precisamos parar de assistir a falência de nosso mundo e permanecermos inertes, como se nada pudéssemos fazer.

A verdade é que a se realmente crermos em Cristo e na mensagem transformadora do Evangelho haveremos de ir aonde precisamos e a quem precisar de nós.

Olhe ao seu redor e veja se você realmente está vencendo a sua incredulidade.

É verdade que você realmente crê em Cristo e na sua mensagem transformadora?

Crê que ele realmente é a resposta que poderá mudar o mundo?

Então vá e também vença todas as barreiras pelo Evangelho e quebra a barreira do ouvir a Palavra de Deus a barreira da fé e a barreira do amor.