Texto: Mat.7.1-5

INTRODUÇÂO: freqüentemente, nós usamos esse texto como se fosse um claro mandamento contra todo julgamento moral.

Na maioria das vezes usamos esse texto para julgar aquilo que consideramos uma atitude arbitrária da parte das outras pessoas.

Jesus esta nos ensinando, que devemos procurar avaliar a nós mesmos, e aos outros, utilizando os mesmos padrões.

O mandamento “Não julgueis” esta nos mostrando que como cristãos devemos saber discernir e fazer certos julgamentos. Não estamos em um tribunal no julgamento segundo a lei.

Jesus esta ensinando em (Mat.7.15-23) que devemos expor os falsos mestres e admoestar os outros a fim de ajudá-los. (Mat.18.15).

Em 1Co.5.1-5 –Paulo nos ensina também que devemos praticar a disciplina na igreja.
Como seguidores de Jesus, não devemos ser críticos ou sentencionadores com relação às atitudes dos outros.

Deus nos mostra nesse texto que devemos sim expressar o amor e não devemos tomar o lugar de Deus como juiz
Quem julgar com um espírito clítico e arbitrário, esse será julgado igualmente por Deus.

O nosso Deus tem misericórdia dos misericordiosos (Mat.5.7) e perdoa aqueles que perdoam (Mat.6.14,15) e condenará os que condenam (Mat.7.1,2). . (Rei, servo e conservo). Parábola do credor incompassivo.

Várias são as vezes que nos pegamos condenando os outros por um comportamento e semelhantemente nos desculpamos os nossos próprios pecados.

Jesus esta dizendo que isso é inaceitável.

Quando nós percebemos algum erro em alguém, o nosso primeiro impulso é enfrentar ou rejeitar essa pessoa. Sim ou não. Por quê?

Jesus esta nos alertando que primeiro devemos perguntar a nós mesmos se o conhecimento desse erro não esta refletindo a minha própria vida.

Fazer uma analise primeiro para não ser acusado, nesse impulso de ajudar pode ser em vão, a pessoa pode nos acusar apontando o mesmo erro em nós.

Quando Jesus nos fala do arqueiro (estilhaço) e de trave (prancha), essa metáfora muitos acreditam que os cristãos, não devem corrigir ninguém.

Apesar de todos nós termos muitos pecados na nossa jornada terrestre (alguns pequenos como estilhaço outros grandes como prancha).

Jesus esta nos ensinando que como cristãos devemos primeiro cuidar dos nossos próprios pecados, e também corrigir e orientar os nossos irmãos fracos que vivem cometendo faltas inaceitáveis no reino de Deus.

Vamos ler Gálata capítulo 6.1-10 e Tiago. 5.19,20.
Portanto o processo de tirar a palha do olho é difícil. Não há órgão mais sensível que o olho.
Quando o dedo o toca, se fecha. Por isso, ao fazer isto necessitamos acima de tudo de afeto, paciência, calma e equilíbrio.

Isto é o que se necessita, devido à delicadeza da operação.

Transportemos tudo isso para o âmbito espiritual. Vamos nos ocupar de uma alma, vamos tocar a parte mais sensível do homem. Como podemos tirar dela o estilhaço?

Somente uma coisa importa quanto a isto, é que se sejamos humilde, compassivo, e estar consciente do próprio pecado e da própria indignidade, a fim de que ao encontrá-la em outra pessoa, longe de condená-la, mas sintamos vontade de chorar.

Enfim meus irmãos se quiserem ingressar no Reino, todavia, teremos de abandonar o direito de Julgar “Não Julguem” adverte Jesus, e com isso destrói a pretensão de qualquer pessoa que procure exaltar-se acima de outros no Reino.

Em vez disso Jesus nos ensina que devemos ser humildes e servos, não mais juízes, mas suplicantes, pois quando nos inclinamos diante de Deus, inclinamo-nos também diante de nossos irmãos, comprometendo-nos a não julgá-los, mas servi-los.

Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor. Gálatas 5:13 –

CONCLUSÃO: A minha oração não pode ser outra se não que a sua escolha seja olhar para o mundo com os olhos de Cristo; acredite, persevere se assim proceder você vai errar menos e acertar mais e ganhar mais experiência, a graça do Senhor está sobre a sua vida.

Você agora tem um alvo, e no fim do caminho existe uma cruz que lhe garante a vida eterna, através do seu novo nascimento. AMÉM!